Buscar
  • Somos Andarilhos

Brasil Plural

Olá!


Um dos assuntos que eu mais gosto de discutir, pesquisar e conversar é sobre cultura.

São vários significados segundo a Sociologia e Antropologia e saber mais sobre hábitos, crenças, pensamentos e conhecimentos de um determinado povo, me ajuda a me conhecer melhor, a testar limites, conhecer melhor a nossa história e começar a entender a nossa identidade.

Isso é tão importante. Seria tão bom se as pessoas começassem a ter esse hábito.


Essa semana, celebramos dias importantíssimos. Começa hoje e vai até dia 24/05, a 18a Semana Nacional dos Museus.

Museus são meus passeios favoritos e aqui em São Paulo, posso dizer que conheci praticamente todos.

Esse evento, organizado anualmente pelo Ibram (Instituto Brasileiro de Museus) tem como objetivo apresentar essa diversidade cultural em nosso país, acabar com todos os tipos de preconceitos e incentivar o hábito de visitação. Se fossem em tempos normais, durante essa semana, alguns museus teriam a entrada gratuita.

Infelizmente, existe sim um preconceito e sempre ouço que é um tipo de programa chato. Acho que quem fala isso é que nunca experimentou de fato a sensação e nunca foi de coração aberto para tentar tornar a experiência mais emocionante e mais agradável.

É a única maneira de saber mais sobre povos, como uma sociedade funciona e como o passado pode se revelar um grande conselheiro para o futuro.


E ainda assim, os números são bem preocupantes e o mapa da desigualdade também se revela em hábitos culturais.

Em uma pesquisa realizada alguns anos atrás, quase 70% dos brasileiros NUNCA pisou em museus, centros culturais e até cinema. Preocupante. Simplesmente preocupante.

Infelizmente, a periferia ainda sofre com a falta de aparatos culturais. Existem, mas são bem poucos.


Além da falta de investimento, a divulgação também não é uma das melhores. Até existem programas de TV mostrando algo, mas nada que possa considerar e tornar essa mudança visível.



Outra data super importante e que comemoramos nesta quinta-feira é o Dia da Diversidade Cultural e reforçar o entendimento entre povos e valorizar essa cultura que só o Brasil tem.

Acho que não existe nada mais brasileiro do que colocar um Adoniran Barbosa em um sábado a tarde para tocar, saboreando uma bela de uma feijoada aqui em São Paulo, ver alguém dançando frevo em Pernambuco, torcer pelo Caprichoso e Garantido no Amazonas, comer um queijo fresco em Minas Gerais, ler Jorge Amado, ouvir histórias do Saci-Pererê, Iara, Curupira e Boitatá...

Acho que só quando entendermos, de fato, essas histórias que o Brasil conta e se importar com todas elas e lutar por toda essa identidade, podemos ressignificar o sentido de patriotismo. Isso é pluralidade.

Sempre digo que temos que conhecer o nosso quintal primeiro. Como vamos entender e opinar sobre a grama do vizinho, se não conseguimos aparar nem a nossa?


E não importa se é cultura popular, erudita e de massa. Tudo é cultura e quem disse que não dá para misturar todas?


Beijos!

Caroline Rossetto

Salve Giorgi

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo