Buscar
  • Stefano Giorgi

Diário de Criação #2

Já faz um tempo que quero escrever essa postagem. Cheguei até a esboçar um rascunho uma vez ou outra, mas não consegui passar das primeiras linhas. Meu problema não teve nada a ver com falta de criatividade. Pelo contrário, ultimamente ando extremamente criativo. Meu problema foi algo muito comum para quem quer empreender: falta de tempo.

Nos últimos dois meses, o Salve Giorgi cresceu. E cresceu em um ritmo sustentável, graças a diferentes esforços da minha parte. Arranjei clientes mensais, parceiros e colaboradores. O problema que ninguém me falou antes de começar esse negócio é que eu não imaginava o trabalho que daria estruturar tudo isso. Eu pensava ter uma noção do quanto estaria fodido. Mas não dava para ter essa noção antes do negócio estar rolando. Eu sabia que seria meu próprio chefe e com isso viriam muitas responsabilidades. Entretanto, não sabia que também seria meu próprio CFO, meu social media, meu planejador, meu comercial e meu criativo.

Independentemente dos resultados das prospecções, meu primeiro cliente é o Salve Giorgi. E o Salve Giorgi tem Instagram, TikTok e apresentação para cuidar. O problema é que esse primeiro cliente não "paga" nada. Ou seja, é um trabalho de suma importância, mas que por si só não gera moeda. Isso sem falar na criação de propostas e apresentações para possíveis novos clientes que não são garantia de lucro, mas se forem mal feitas são garantia de prejuízo. Em compensação, os clientes que já foram captados e geram moeda querem e merecem atenção. Muita atenção por sinal. Tanta que, às vezes, trabalhar de sábado, domingo e feriados como carnaval, não deu conta. Então, percebi que por mais que eu quisesse tomar conta de tudo, era impossível.


Sendo assim, comecei a montar minha equipe. Contratei um diretor de arte e uma redatora - ambos júnior. Pensei que meus problemas teriam acabado. E parte deles realmente acabou. Meus dois colaboradores me surpreendem positivamente a cada dia. Entretanto, sem perceber, arranjei um novo trabalho quando contratei os serviços de ambos: o de gestor de pessoas. E isso é um trampo diário que visa o desenvolvimento não só do Salve Giorgi, mas dos dois como profissionais. É um trabalho que demanda tato e responsabilidade, mas também é um trabalho que tenho achado extremamente gratificante. E é um trabalho que se provou compensador.

Na semana retrasada, nosso cliente BaseLab nos chamou para uma reunião de alinhamento. A Base é uma consultoria de marketing político com experiência e acesso a mais de 100 candidaturas. Aquela reunião de alinhamento serviu para um novo acordo comercial. O Salve Giorgi se tornou o braço de comunicação digital da Base. Ou seja, cada cliente da Base que precisa de comunicação digital vira cliente do Salve Giorgi. Enfim, o negócio virou!

Infelizmente como eu escolhi jogar a vida no modo Hard antes de vir para esse plano, nada seria tão simples assim. Logo depois de fecharmos esse lance de parceria, o COVID19 explodiu. E, depois de uma semana de gestão de crise, lá se foram 3 clientes fechados e o lançamento da Santa Augusta que ia entrar como case no portfólio.

Foi um soco no estômago. Inclusive porque os novos clientes que entraram pela BaseLab estavam desesperados por material para se comunicar durante o COVID19. E, para ajudar, o Bolsonaro ainda deu um discurso maravilhoso que nos forçou ter uma reunião de emergência das 21h às 23h em uma das noites. Ou seja, dá para entender o motivo de eu não conseguir escrever esse post antes, não dá?!


Apesar de todas as dificuldades desses dois meses de gestão de empresa, pessoas e crise, devo dizer que encontrei algo muito positivo do outro lado da moeda: o poder da escolha. É libertador poder recusar um serviço para uma pessoa escrota, poder agendar uma viagem com minha namorada e colocá-la como prioridade e poder escolher jogar vídeo-game pela manhã em troca de trabalhar à noite naquele mesmo dia. É muito bom ter o controle dos meus próprios horários.


Eu não sei o que vai ser do futuro de muitas empresas com essa crise do COVID19. Pelo que tenho conversado, muita gente vai quebrar e muita gente vai ser forçada a se reinventar. E eu como Salve Giorgi estou de olho nas mudanças desse mercado para não apenas sobreviver, mas conseguir crescer ajudando pequenos e médios negócios. Aguardemos às cenas dos próximos capítulos. Espero que não demore tanto para ser escrito aqui quanto esse demorou.


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo